Home RelacionamentosCom os Outros Dores e delícias de uma vida a dois

Dores e delícias de uma vida a dois

por Gabi Bortolussi
vida-a-dois

Sabe quando a gente é adolescente e fica imaginando como seria maravilhoso encontrar nosso príncipe encantado e dormir e acordar todos os dias ao lado dele? Pois é, quando esse momento realmente chega a gente descobre que não estava totalmente errada, mas que também estava longe de estar imaginando a realidade como ela é. A vida a dois é bem mais complexa do que a gente imaginava.

A primeira e mais chocante descoberta é a de que não existe príncipe encantado, pelo menos não do jeito que a gente imaginava! O nosso amor não vai chegar em um cavalo branco, não vai ser perfeito e nem vai fazer todas as nossas vontades (ainda bem). Ao contrário disso, ele vai ter alguns bons defeitos e vai ter dias péssimos, como todos nós seres mortais. A sehunda grande descoberta é que dormir e acordar ao lado dele, na maioria dos dias, vai ser realmente a coisa mais deliciosa do mundo, mas, em alguns poucos dias, você vai desejar que ele durma e acorde no sofá (só desejar mesmo). 

Vocês vão aprender juntos que um relacionamento tem que ser cuidado e cultivado todos os santos dias para que ele seja saudável e durável. Vão aprender que abrir mão de certas coisas é necessário para que a convivência seja agradável e leve. Vão aprender também que dormir brigados ou deixar para resolver os problemas depois é um dos maiores e mais perigosos erros que vocês podem cometer. E sabe por quê? Porque durante um dia ao lado da pessoa que você ama, podem acontecer dezenas de pequenas coisas que irão te irritar. Agora imagina que isso aconteça todos os dias e que você simplesmente não converse sobre, que você opte por “deixar pra lá”. Ao longo de um certo tempo, essas coisas que antes eram pequenas vão se juntar e ficar tão grandes que vai se tornar insuportável e, são nesses momentos, que brigas completamente desnecessárias podem acontecer. Essas brigas chegam com uma carga tão grande de mágoa e ressentimento que você pode realmente começar a se questionar se ainda existe amor por ali.

A boa notícia é que essa tragédia toda é completamente evitável, sabe como? Juntos, vocês devem sempre fazer um balanço de como vai o relacionamento – do que agrada, do que desagrada, do que irrita, do que é insuportável – para que assim consigam balancear os fatores, manter o que for bom e tentar mudar o que está ruim. Aqui em casa, por exemplo, temos um pacto de nunca deixar pra depois, por menor que seja o problema e, além disso, ter uma conversa mais profunda pelo menos uma vez por mês. Agora chega um ponto interessante: essa conversa não é uma dr, de forma alguma (se você ver dessa forma, provavelmente não vai conseguir fazer). São apenas duas pessoas que se amam e se preocupam em entender o que faz o outro feliz, cuidando e cultivando assim o amor que existe.

Outro ponto que vale a pena discutir é: a gente não tem que mudar a nossa essência por causa de outra pessoa e muito menos pedir que o outro mude por nossa causa (lê-se aqui que mudar nossa essência é completamente diferente de abrir mão de pequenas coisas, ok?). Cada um de nós é único, e isso é incrível! Para um relacionamento funcionar bem, temos que entender e aceitar a essência do outro, ajudando-o sempre a melhorar e evoluir.

Entenda: pedir pro seu companheiro não deixar a toalha molhada em cima da cama é completamente aceitável e entra na parte de cuidar da relação, de não deixar que coisas pequenas acabem minando o amor de vocês. Agora, pedir pro seu companheiro mudar a forma como ele se veste não é nada bacana, além de ser extremamente cruel. Sabe por que? Porque isso faz parte da identidade dele, de como ele se enxerga e de como ele se relaciona com o mundo. Você não tem o direito de pedir que ele mude isso. Agora você pode estar pensando: “Nossa, essa menina é muito radical. O que tem demais eu pedir pro meu namorado usar uma roupa que eu goste?”. Realmente não tem nada demais em você fazer isso um dia ou outro, e desde que isso não afete negativamente a pessoa que você ama.

Depois de um certo tempo a gente aprende que tarefas que antes eram chatas e massantes, pode se tornar extremamente prazerosas quando faz o seu amor feliz. Gosto de exemplos, então vamos lá: Pedro, meu namorido, ama filmes de super-herói e eu nunquinha nessa vida gostei (não sei nem diferenciar o Hulk do Batman). Mas ao longo do tempo eu fui descobrindo que me fazia extremamente feliz ir ao cinema com ele para assistir esses filmes que ele gosta (mesmo não entendendo quase nada do contexto). E é isso, você vai descobrir que pode sim abrir mão de algumas coisas e aprender a gostar de outras, não por obrigação, mas porque ver o outro feliz também vai te fazer feliz.

Outro ponto bastante interessante é que às vezes nos sentimos frustradas, porque à determinada altura do relacionamento o nosso companheiro deixa de fazer aquelas pequenas coisinhas pra agradar. Lembra quando ele chegava em casa com aquele chocolate que você gosta muito sem que você tivesse que pedir? Ou quando ele fazia uma surpresinha romântica no aniversário de namoro? Isso realmente faz falta. Mas é bem chato ter que ficar cobrando que a pessoa faça esse tipo de coisa, né? Então uma forma bem simples que eu encontro por aqui de não deixar que isso acabe é: eu faço essas surpresinhas pra ele. Quase um contrato de troca invisível, e funciona muito bem porque ele fica feliz e com vontade de retribuir (lembrando que isso não acontece imediantamente, tá?)! Só não vale agir só esperando alguma coisa em troca, porque senão você vai acabar frustrada caso ele não esteja na mesma vibe naquele momento.

Como eu gosto bastante de ajudar vocês com a minha experiência (como se eu fosse a mega experiente do rolê) e com tudo que eu estudo antes de fazer esse tipo de post, vou dar alguma dicas de como melhorar seu relacionamento e a vida de casal.

Melhorando sua convivência com o crush em 5 passos

Melhorando o relacionamento com o crush

Chamada sensacionalista só pra alertar vocês de que não é um processo fácil ou uma receitinha de bolo. Além disso, pode ser que nada dessas coisas que eu vou falar resolva o seu caso. Antes de fazer qualquer coisa, se você está passando por problemas na sua vida a dois é importante que você se faça algumas perguntas:

i) eu me sinto presa nesse relacionamento?;

ii) eu me sinto desrespeitada ou violada de alguma forma?;

iii) realmente vale à pena o esforço que eu vou fazer pela pessoa com quem eu estou?;

iv) eu me sinto menosprezada ou inferior a ele(a)?

Dependendo das respostas para essas perguntas pode ser que seu relacionamento seja abusivo, tóxico ou que não exista mais amor entre vocês. Nesse caso, não há nada que se possa fazer a não ser seguir em frente (e deixar a pessoa seguir em frente também) e ser feliz. Se você acha que pode estar em um relacionamento tóxico ou abusivo, leia esse post (colocar o link do post).

Mas voltando ao tema, se você leu o post todo e se identificou, conseguiu visualizar algumas situações que acontecem com você, vamos juntas tentar fazer algumas coisas diferente para que nossos relacionamentos se mantenham o mais saudáveis e leves quanto possível.

1. Colocar a empatia como um guia do relacionamento

empatia

substantivo feminino

    1. faculdade de compreender emocionalmente um objeto (um quadro, p.ex.).
    2. capacidade de projetar a personalidade de alguém num objeto, de forma que este pareça como que impregnado dela.

 

  • capacidade de se identificar com outra pessoa, de sentir o que ela sente, de querer o que ela quer, de apreender do modo como ela apreende etc.

 

    • psic processo de identificação em que o indivíduo se coloca no lugar do outro e, com base em suas próprias suposições ou impressões, tenta compreender o comportamento do outro.
    • soc forma de cognição do eu social mediante três aptidões: para se ver do ponto de vista de outrem, para ver os outros do ponto de vista de outrem ou para ver os outros do ponto de vista deles mesmos.

Sempre se coloque no lugar do outro e tente imaginar como se sentiria naquele caso. Tentem em casa, isso é realmente milagroso.

2. Dialogar sempre

Como eu enfatizei bastante acima, não deixar que os problemas crescam e terminem em grandes e desnecessárias briga. Conversem sempre, sobre tudo e sobre nada. Isso é provavelmente o que vau manter a ligação de vocês cada vez mais forte.

3. Saber dar importância ao que realmente importa

Essa frase parece bem idiota, mas faz todo o sentido nessa situação. Muitas vezes, no dia-a-dia acabamos nos estressando por coisas bobas e acabamos também não reconhecendo o que o outro tem feito de bom pra nós. Completamente o oposto do que deveria ser. Então, discernimento e atenção para não cometer esse tipo de erro.

Cabe ressaltar aqui a importância do saber reconhecer o esforço do outro. Isso tem um poder de transformação e de incentivo incrível para que as coisas continuem melhorando.

4. Ser compreensivo

Normalmente, nos dias em que estamos mais “chatos”, são os dias em que mais precisamos de carinho e atenção. Então, faça um esforço e tente ser mais compreensivo com a pessoa que está ao seu lado, porque ela fará o mesmo por você quando você precisar.

5. Dê espaço a quem você ama

Eu sei que a gente tende a querer colocar a pessoa em um potinho e ter ela sempre por perto, mas isso não é nada saudável pra qualquer tipo de relacionamento. Todos precisamos de espaço, precisamos de tempo com nossos amigos, precisamos de tempo para fazer o que gostamos e, acredite, você não cabe em todos os programas que o seu namorado(a) faz. Entenda que quando você dá o espaço que ele(a) precisa, coisas boas irão acontecer. Vocês terão mais coisas para conversar, mais experiências para compartilhar e serão bem mais felizes.

Obs: Nunca deixe de ter o seu espaço também, senão você vai ficar frustrada e acabar se tornando uma pessoa chata e entediante.

6. Faça pequenas coisas para agradar ao outro

Quando eu digo pequenas, são pequenas mesmo. Passe aquele batom que você sabe que ele(a) gosta, faça aqueles cookies que ele(a) tanto amo. Pode acreditar, além de fazer com que ele sinta vontade de fazer o mesmo por você, isso vai ter fazer muito bem.

7. Tenha seu namorado como melhor amigo

Clichê mas essencial. Eu costumo dizer que quando eu era mais nova o que mais importava pra mim em um relacionamento era a fidelidade. Hoje, eu não tenho a menor dúvida quando eu digo que o que mais importa é o companheirismo. Sem ele, fica difícil passar pelos problemas e provações que a vida a dois impõe.

———————————————————————————————————————————

Se você tem mais dicas de como manter um relacionamento a dois saudável, manda pra gente! É incrível poder compartilhar informações e trocar experiências dessa forma.